Subscrição de CoffeeLetters

A reacção frágil da oferta de café deu o tom do movimento deste mercado em 2011. Só a título de exemplo, o indicador dos preços recebidos pelos produtores brasileiros de café arábica (Cepea/Esalq) alcançou a média de R$ 494,98 por saca, de Janeiro a Novembro de 2011, contra a média de R$ 220,11, obtida durante toda a década de 2000.


A Indonésia, terceiro maior exportador de café da Ásia, planeia duplicar os embarques de grãos especiais para cerca de 2 milhões de sacas, de 60 quilos cada, até 2020, ampliando a produção em meio à expectativa de uma robusta demanda global, afirmou nesta segunda-feira Surip Mawardi, investigador sénior do Instituto Indonésio de Pesquisa de Café e Cacau.


Os níveis de cafeína em algumas doses de café expresso podem estar acima dos valores de ingestão diária recomendados para alguns consumidores mais sensíveis. Foi o que revelou uma pesquisa efectuada no Reino Unido.
Normalmente, a ingestão de café causa apenas um aumento do nível de alerta. Contudo, para algumas pessoas, cafeína em excesso pode aumentar a ansiedade e conduzir a outros problemas de saúde.


As exportações de café da Índia no próximo ano deverão cair entre 10 e 15%, em comparação com 2011, por causa da diminuição da safra local e da desaceleração da demanda europeia, em virtude da incerteza económica.


Chuvas torrenciais na América Central e previsões de retorno do La Niña, influenciam o valor da segunda commodity mais negociada no mundo depois do petróleo.
Os preços do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) devem continuar propensos a subir no próximo mês, por causa do decréscimo da produção mundial em 2011/12, da forte demanda dos mercados emergentes e dos baixos stocks iniciais, de acordo com o Goldman Sachs.


A Indonésia está a lutar com uma queda na produção de café devido ao clima quente e húmido, e fixou uma meta ambiciosa de ser o segundo maior produtor mundial dentro de cinco anos. A Indonésia é o quarto maior produtor mundial de café, depois do Brasil, da Colômbia e do Vietname, e o segundo maior produtor de café robusta, a seguir ao Vietname.


Páginas

Subscribe to Front page feed